7 Muito além de um simples desejo (erótico)

Os Qwarliks buscam pelo Universo, genes que os façam romper com a linhagem artrópode; por um erro de navegação encontram no planeta Terra a raça genuína, perfeita para tal. Agora aguardam ansiosos apenas a primeira geração de crias humanas para fazerem contato.

.

Os qwarliks, atualmente, passam por um processo de mutação genética e reestruturação biomolecular e estão se adaptando às características humanoides numa via-crúcis que já dura mais de 10 mil anos; entre saltos de geração espontânea e amadurecimento precoce da raça através de acasalamentos com fêmeas e machos de outras espécies do universo.

Encontrar o planeta Terra foi praticamente uma obra do acaso. Não fazia parte do programa de abordagem, nenhuma viagem — em especial — para aquele setor da galáxia, pois acreditavam não existir forma alguma de vida inteligente por aquelas bandas. Quando, por um erro de cálculo dimensional, a nave surgiu na estratosfera de um mundo completamente diferente do especificado no painel estelar, o primeiro gesto de Txyi-nno, depois de espraguejar sobre os instrumentos feitos pelos androides Khloss e adquiridos por uma bagatela, foi, a título de curiosidade, colher mais informações a respeito das espécies daquele sistema. Não lhe custava nada, já que estava ali mesmo. Abriu os canais de comunicação, os receptores, os filtros adjutores idiomáticos instantâneos… E foi um choque.

A primeira imagem que recebeu em sua gigantesca tela polimínica deixou-o atônito, paralisado… E depois permaneceu em estado catatônico por mais algum tempo, enquanto as imagens tumultuavam a sua mente. Há milhares de anos a sua raça vagava perdida pelo espaço, sem nenhuma esperança… E ali estava justamente aquela que abriria o caminho para o fortalecimento do gene qwarlikiniano e a resposta para todos os sofrimentos suportados em milhões de eras. Ele encontrara a raça genuína! Um estudo antropogênico deu ao qwarlik a noção e a certeza de que finalmente havia encontrado a paz e o descanso para o seu povo. Estava ciente de que suas buscas haviam terminado. A sua excitação era tamanha que precisava, a quase todo instante, ordenar os pensamentos.

Um guerreiro qwarlik devia estar sempre atento e calmo para enfrentar qualquer situação, mas fora surpreendido com algo muito mais além da rotina. Antes de comunicar a sua descoberta, necessitava de mais dados, tais como: descer ao planeta, pesquisar, ver como era cada criatura… Tocar, sentir. Coisas que acabava de descobrir e que lhe eram completamente desconhecidas. Mas antes de qualquer aproximação, precisava de mais material. Saber como viviam, como agiam, comportamento, meio ambiente e, principalmente, como se acasalavam. O processo de procriação era o mais importante. Em outras épocas haveria uma invasão imediata, a raça seria dominada e os cientistas viriam obcecados e exterminariam as criaturas fazendo experiências e, depois, chegariam a uma conclusão de que não serviam. Isso já acontecera em outras épocas.

Colheu o máximo de informações possíveis, assimilou o idioma e depois ficou aguardando o momento certo para aterrissar: o anoitecer.

.

Gostou do que leu? Quer continuar a leitura? Adquira o meu livro: CONTOS DO NAVEGADOR #1

.

Anúncios

Sobre dekowes

Escritor, Jornalista, artista gráfico, web designer e videomaker. Resido em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, curto caminhada e pratico Swàsthya Yoga.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: